Ipem-PE e PCPE encontram irregularidades em fábrica em Paulista

O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem-PE) e a Polícia Civil de Pernambuco, por meio da Delegacia de Polícia de Crimes Contra o Consumidor (DECON),  realizaram em parceira, nesta segunda-feira (30), uma fiscalização a uma fábrica de papel higiênico e toalhas de papel, localizada em Paratibe, Paulista.

Durante a ação, fiscais do Ipem-PE encontraram nove produtos irregulares por não ostentarem a indicação quantitativa em suas embalagens. Também foram coletados 128 amostras de papel higiênico e papel toalha para análise em laboratório. A ação ainda interditou todo o lote de produtos fora dos padrões que estavam na fábrica.

A partir da constatação das irregularidades, os fabricantes e/ou responsáveis por esses produtos têm um prazo de 10 dias para apresentar defesa junto ao instituto. Após o prazo poderá ser estabelecida uma multa que pode chegar até R$ 1,5 milhão de acordo com a lei federal nº 9.933/99.

Ao término da ação, duas pessoas foram conduzidas a DECON, onde foram autuadas em flagrante delito pela prática de crimes contra às relações de consumo.