Operação Serpentina fiscaliza mais de 10 lojas no Centro do Recife

Dando continuidade à Operação Serpentina, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos realizou, nesta quarta-feira (20.02), uma fiscalização conjunta nas ruas das Calçadas, Santa Cecília e Santa Rita, no Bairro de São José. Participaram o Procon-PE, Ipem, Procon-Recife e Polícia Militar.

Durante toda a manhã, mais de 20 mil itens foram fiscalizados em 10  lojas. A ação teve foco nos artigos de Carnaval: serpentinas, máscaras, gliter e adereços. O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, acompanhou a equipe de fiscais. “Nossa intenção não é prejudicar os comerciantes, mas garantir a segurança do consumidor no uso de produtos e serviços nesta época do ano”, afirmou.

Estamos observando se há selo do Inmetro, tipo de material que a fantasia é fabricada e a gramatura de potes de gliter, explicou a gerente de fiscalização/Procon-PE, Danyelle Sena.

Segundo a Diretora Técnica, Ana Karla Andrade, no caso das fantasias, o consumidor deve ficar atento à composição têxtil do tecido, que deve estar apresentada na etiqueta do produto. “Informações como razão social ou nome da marca registrada do fabricante, CNPJ, país de origem também devem conter na etiqueta. No caso dos brinquedos é preciso ficar atento ao Selo de Conformidade do Inmetro e nos produtos pré-embalados, como confetes e serpentinas, se o peso confere com o descrito na embalagem”, explica.

As lojas Super Presentes, Star Bijoux, Festa e Alegria tiveram produtos recolhidos e foram notificadas por descumprir as exigências do Código de Defesa do Consumidor (CDC).  As fiscalizações tiveram início nesta terça (19) e vão até a terça de Carnaval com foco em todos os serviços e produtos direcionados aos festejos de momo.